Há algum tempo que sabemos que o carnaval está com os dias contados. A medida que a verdade da Palavra alcança um maior número de pessoas, estas deixam para trás o tempo de engano e escravidão.

Ontem, 3 de fevereiro, foi publicado um artigo no jornal O Globo que descortina um fato que já está acontecendo há muitos anos nas fileiras do carnaval.

Leia um trecho do artigo. Diz o texto:

“As velhas baianas somem da passarela, elas estão sendo arrancadas das fileiras de suas escolas por igrejas evangélicas, …

Ocorre hoje, porém, um problema da maior gravidade nas escolas de samba, amplamente comentado no meio e, infelizmente, pouco repercutido na imprensa: a velha baiana corre o risco de desaparecer, arrancada das fileiras de sua escola pela conversão às igrejas evangélicas que, cada vez mais fortes, demonizam o samba, o carnaval e suas práticas.

O problema atinge, sobretudo, as escolas mais pobres, que contam basicamente com os componentes das próprias comunidades para fazer o carnaval. São inúmeros os casos de passistas, ritmistas e, sobretudo, baianas, que abandonaram os desfiles atendendo a determinações de pastores. Diversas escolas de pequeno porte já entram na avenida perdendo pontos, pois o regulamento dos desfiles exige um número mínimo de baianas para o cortejo. Onde elas estão? Nas igrejas, ouvindo pregações apocalípticas contra a festa.

Atribuindo ao carnaval um perfil maligno, …. é óbvio, também, que as escolas de samba têm fortes raízes fincadas nas religiosidades afro-ameríndias, notoriamente na Umbanda e no Candomblé. Sabemos, por exemplo, que algumas baterias de grandes escolas desenvolveram seus toques característicos a partir dos ritmos consagrados aos orixás. “

Louvamos ao Senhor que muitas “baianas” estão sendo libertas da opressão do carnaval que, como o artigo mesmo afirma, tem forte influência na Umbanda e no Candomblé.

O resultado disto não é somente o esvaziamento das alas das baianas, mas especialmente a transformação de famílias inteiras que passam a desfrutar das maravilhas da presença do Senhor em suas vidas.

Como diz a Palavra; “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará”