Os eleitores da Carolina do Norte, no sudeste dos Estados Unidos, aprovaram nesta terça-feira uma emenda constitucional que bane o casamento homossexual. De acordo com a medida, apenas o matrimônio entre um homem e uma mulher é considerado válido.

Com 35% dos votos apurados, 58% dos cidadãos do Estado aprovaram a alteração, contra 42% que se mostraram contrários. Apesar do resultado preliminar, projeções de emissoras americanas, como a CNN e a NBC, dão o resultado como fechado.

A lei também não permite as uniões estáveis, que não eram autorizadas no Estado. Com isso, a Carolina do Norte se torna o 30º Estado a considerar legal apenas o matrimônio entre casais heterossexuais.

A consulta foi alvo de campanha intensa de republicanos e democratas, em meio aos discursos pelas eleições presidenciais, que serão realizadas em novembro.

Membros do gabinete do presidente Barack Obama e até o ex-mandatário Bill Clinton chegaram a pedir votos contrários à medida, enquanto setores republicanos e religiosos fizeram anúncios em apoio.

DEBATE

A rejeição ao casamento gay na Carolina do Norte acontece em meio a uma discussão sobre o casamento gay na campanha eleitoral. O presidente Barack Obama é exigido por setores republicanos e democratas a revelar sua posição sobre o assunto.

A pressão para que Obama declare seu apoio ao casamento gay aumentou nos últimos dois dias, depois o vice-presidente, Joe Biden, disse se sentir “confortável” com o casamento entre pessoas do mesmo sexo e do secretário de Educação, Arne Duncan, apoiar explicitamente essas uniões.

O reverendo evangélico Billy Graham apelou aos eleitores para apoiar a medida, enquanto o ex-presidente Bill Clinton e alguns líderes empresariais pediram para a Carolina do Norte rejeitá-la.

Mais cedo, o Instituto Gallup divulgou uma pesquisa mostrando qque 50% dos americanos apoia o reconhecimento legal dos casamentos homossexuais, contra 48% contrários.

O apoio aos casamentos homossexuais varia muito em função do segmento social e ideológico. Enquanto 65% dos democratas e 57% dos independentes se posiciona a favor da legalização, só 22% dos republicanos aceita.

Além disso, as diferenças surgem em função da religiosidade dos americanos, já que 88% dos cidadãos americanos sem identidade religiosa apoia o casamento homossexual, mas os contrários ganham espaço entre os católicos (47%) e, sobretudo, nos protestantes (59%).

Apesar da escala nacional, os partidários superam os oposicionistas, em um ano em que os favoráveis ao casamento entre pessoas do mesmo sexo reduziram em três pontos. Em 2011, 53% dos americanos questionados era a favor e 45% contra.

A enquete, realizada pelo instituto Gallup entre 3 e 6 de maio, perguntou a 1.024 pessoas de todos os estados do país a opinião sobre o tema. A pesquisa tem uma margem de erro de 3%.

Fonte: Folha de São Paulo