Veja também: Carnaval Cancelado ou Restrito (com atualizações)
http://goo.gl/mwdyg

Falta de verba e tempo para realizar festa estão entre os motivos alegados.

No estado de São Paulo, pelo menos dez municípios suspenderam evento.

 Diversas cidades de todo o Brasil decidiram cancelar os desfiles de escolas de samba no carnaval. Cada município justificou de maneira diferente a suspensão dos eventos, mas as razões mais citadas foram a falta de verbas ou o direcionamento dos recursos para outras áreas.

Em Florianópolis, a Liga das Escolas de Samba (Liesf) anunciou nesta quarta-feira (16) que não haverá desfiles. Segundo o presidente da Liesf, Zeca Machado, o evento foi cancelado porque as escolas não vão receber o auxílio da prefeitura para cobrir nos gastos. As escolas já tinham recebido recursos da iniciativa privada, mas os representantes das escolas consideraram os valores insuficientes para finalizar as apresentações.

Em Petrópolis, o prefeito Rubens Bomtempo (PSB) afirmou que decidiu cancelar o carnaval na região central da cidade para reverter o dinheiro para a área da Saúde. Segundo ele, a verba economizada, que está estimada em cerca de R$ 1 milhão, será aplicada em melhorias de dois hospitais.

Já o cancelamento do carnaval de Ilhéus, na região sul da Bahia, ocorreu pela falta de recursos públicos. Segundo o prefeito do município, Jabes Ribeiro, a situação financeira da prefeitura não viabiliza a realização da festa.

Em Minas Gerais, o carnaval de rua de Santa Rita do Sapucaí foi cancelado por uma dívida da prefeitura. Segundo o prefeito, Jéferson Gonçalves Mendes, o custo do evento seria de R$ 600 mil, mas ele teria herdado uma dívida de R$ 3 milhões da administração anterior.

São Paulo
No estado de São Paulo, pelo menos dez  municípios anunciaram o cancelamento da festa nos últimos dias.

A Prefeitura de Itaquaquecetuba divulgou na segunda-feira (14) o cancelamento do carnaval. O evento já não tinha sido realizado nos dois últimos anos. Já Suzano  havia anunciado o cancelamento no dia 8 de janeiro por causa da falta de tempo para organizar a folia. Não haverá nem desfile das escolas de samba e nem bailes.

Em Guaratingueta, o prefeito Francisco Carlos (PSDB) explicou que o cancelamento da festa ocorreu pelo atraso na abertura das licitações, feitas no governo do antecessor, Júnior Filippo (DEM). O secretário de Turismo na gestão de Filippo, Nelson Baracho, nega o atraso.

Em Ferraz de Vasconcelos, o motivo do cancelamento foi falta de verba. A administração municipal informou que vai se preparar para oferecer um carnaval completo em 2014.

Marília também anunciou que a cidade não vai gastar dinheiro nos desfiles de carnaval neste ano. Segundo a prefeitura, a decisão foi tomada em razão da crise financeira que afeta o caixa municipal e que resultou até no atraso do pagamento dos servidores.

O desfile das escolas de samba e blocos carnavalescos de São José dos Campos também não vai ocorrer. A prefeitura decidiu cancelar o desfile, porque não pode repassar a verba para a liga das escolas de samba, já que a prestação de contas do carnaval do ano passado não foi aprovada.

O desfile das escolas de samba e blocos carnavalescos de Lorena não vai ocorrer em 2013 devido aos problemas financeiros que a administração municipal enfrenta. A prefeitura decidiu cancelar a folia na cidade em consenso com as escolas de samba durante uma reunião no início desta semana.

A Prefeitura de Itapetininga informou que não realizará o carnaval de rua em 2013. De acordo com o prefeito, Luis Di Fiori, o motivo é a contenção de gastos para aplicação de dinheiro na Saúde.

Os presidentes das escolas de samba de Porto Feliz (SP) foram comunicados que não haverá verba para a realização do carnaval. De acordo com a prefeitura, os representantes das escolas compreenderam os motivos apresentados e apoiaram a iniciativa.

Representantes das três escolas de samba e da prefeitura de Assis decidiram cancelar o carnaval durante uma reunião nesta quarta-feira. O motivo seria a falta de dinheiro da prefeitura e de tempo para organizar os desfiles.

Rio Grande do Sul
Dois municípios cancelaram os desfiles das escolas de samba no estado. Em ambos os casos, a decisão foi tomada em comum acordo entre as escolas e prefeituras, que optaram por concentrar os esforços na realização de um desfile superior em 2014.

Segundo nota assinada pela Prefeitura de Santana do Livramento e pelas 10 escolas do município, a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) orçou o valor do carnaval em R$ 160 mil a serem repassados às escolas e R$ 70 mil para estrutura, mas a administração municipal determinou que R$ 40 mil seriam repassados às escolas. Sem tempo hábil para a captação de novos patrocínios, as entidades decidiram cancelar o evento neste ano.

Uma situação parecida ocorreu em Alegrete. A prefeitura e a Associação Cultural, Recreativa e Carnavalesca de Alegrete (Assercal), que representa as escolas, optaram por cancelar a festa para ter uma estrutura melhor em 2014.

Fonte: G1