Anúncio foi feito horas depois do ataque a bomba contra um ônibus em Tel Aviv
Ônibus explode no centro de Tel Aviv em ataque terrorista
Ônibus explode no centro de Tel Aviv em ataque terrorista – Nir Elias/Reuters

O ministro de Relações Exteriores do Egito, Mohammed Kamel Amr, anunciou que o cessar-fogo entre Israel e o Hamas terá início na noite desta quarta-feira (21 horas, pelo horário local, 17 horas de Brasília).

“O Egito fez contato com todas as facções palestinas, com Israel e com os Estados Unidos, e esses esforços levaram a um acordo para o cessar-fogo e a volta à tranquilidade”, disse Amr em uma entrevista coletiva, ao lado da secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

O período de duração da trégua não foi especificado, mas a chefe da diplomacia americana afirmou que os Estados Unidos vão buscar um acordo de paz duradouro para a região. “O povo dessa região merece a chance de viver sem medo”, disse a secretária de Estado americana, acrescentando que “nada substituiu uma paz duradoura”. Hillary disse que agora que há uma trégua, trabalhará para alcançar essa solução.

O anúncio é feito horas depois do ataque a um ônibus em Tel Aviv, que deixou mais de 20 feridos. A Casa Branca condenou o ataque: “Os Estados Unidos vão continuar apoiando seu aliado Israel e oferecendo qualquer assistência necessária para identificar e punir os responsáveis”, diz o comunicado do secretário de imprensa da Casa Branca, Jay Carney. O texto acrescenta que Washington continua a ter um “compromisso inabalável” com a segurança de Israel.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, elogiou o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu por “concordar com a proposta do Egito”, segundo comunicado divulgado pela Casa Branca. “O presidente expressou seu apreço pelos esforços do premiê em trabalhar com o novo governo egípcio para alcançar um cessar-fogo sustentável e uma solução mais duradoura para este problema”, diz o texto.

O comunicado afirma ainda que Obama havia recomendado a Netanyahu aceitasse a proposta. O gabinete do primeiro-ministro havia afirmado que ele estava pronto para dar uma chance à trégua, advertindo que uma ação enérgica poderia ser necessária se o cessar-fogo falhar.

Ontem, militantes do Hamas e representantes do governo egípcio chegaram a afirmar que uma trégua seria anunciada oficialmente, mas Israel negou que um acordo tivesse sido alcançado.

Fonte: Veja