Yoaxis Marcheco Suarez, esposa do pastor batista e ativista cubano pela liberdade religiosa, Mario Felix Lleonart Barroso, foi presa na cidade de Remédios, na província de Villa Clara, em 16 de outubro

28_Cuba_YoYo

Durante sua prisão, Yoaxis foi pressionada a assinar uma advertência oficial ou “ata de advertência”, um documento que pode ser usado como justificativa para as prisões e futuras acusações criminais, mas ela não o fez. Também disseram a ela para que parasse de ter contato com elementos “contrarrevolucionários”.

Outro pastor, Yordanis Santi Perez, foi preso e interrogado, ao mesmo tempo.

No dia 8 de outubro, assim como sua esposa, o pastor Barroso resistiu à pressão para assinar uma ata de advertência em um interrogatório com os serviços de segurança.

No ano passado, líderes da Igreja cubana publicaram uma declaração conjunta sobre liberdade religiosa em Cuba. O pastor Mario Felix Lleonart Barroso, a missionária Yoaxis Marcheco Suarez e o apóstolo Omar Gude Perez são responsáveis pela elaboração do documento, que visa demonstrar que a liberdade de religião e crença não é respeitada pelo governo de Cuba.

Há alguns meses, a organização Christian Solidarity Worldwide (CSW) também lançou um relatório que revela um aumento preocupante nas violações à liberdade religiosa no país. Leia mais aqui.

Fonte: Portas Abertas