Grande parte da Alemanha é considerada com um alto índice de ateus ou agnósticos. Diversos estudos indicam que só 13% dos habitantes da região que outrora foi um país comunista crê, de alguma forma, em Deus.

Ainda assim a assistência as igrejas está crescendo no país, em parte graças a antigos muçulmanos que vêm do Irã. Um exemplo é a igreja House of God’s Help em Berlim, onde  a presença de iranianos convertidos ao cristianismo duplicou a assistência no templo.

“Isto chegou como uma inesperada chuva de verão”, afirma Rosemarie Götz, diaconisa da igreja . “De repente começou a chegar gente nova cada semana e pediam para serem batizados”.

“Ao princípio só eram cinco ou seis iranianos. Era fácil de ver e conhecer, logo com o passar do tempo foram trazendo seus amigos e vizinhos”, cada vez mais.

Não se sabe com exatidão quantos imigrantes do Irã e outros países muçulmanos se converteram a Jesus e se uniram as igrejas protestantes alemãs, mas é certo que isto é um fenômeno que acontece em todo o país, e se diz que os batismos se contam aos milhares.

Götz destacou que os ex-muçulmanos convertidos se surpreenderam ao perceberem que muitos alemães no mostram interesse real pelo cristianismo, o que são só cristãos nominais.

CONVERTIDOS NO IRà

Também chegam muitas pessoas que eram muçulmanos mas que já abraçaram a fé em Jesus no Irã, antes de chegar a Alemanha . “Me reuni em Teerã várias vezes com amigos em uma igreja cristã clandestina, e ali nos falaram de Jesus”, declarou a CBN um crente chamado Michael que assiste a House of God’s Help. “Fazíamos estudos da Bíblia, mas as vezes sem uma verdadeira Bíblia. E fazem cinco anos fui batizado em uma banheira”.

Todos os muçulmanos que se converteram no Irã declararam a CBN que tiveram que fugir já que se arriscavam a serem encarcerados ou a perder a vida. “Uma vez ia a uma reunião da ‘igreja em casas’ e vi a polícia tinha ido a casa em que nos reuníamos, assim decidi não entrar”, disse um crente, “Pouco mais tarde cheguei em minha casa e minha mãe me disse: ‘A polícia veio buscar-te’. Sabia que não podia voltar para casa e me ajudaram a fugir do país”.

“Os que se converteram ao cristianismo no Irã sabem mais sobre o cristianismo do que era esperado”, disse Götz. “De alguma maneira eles são mais maduros como crentes que muitos de nós, porque já foram perseguidos por Cristo”.

PROSELITISMO MUÇULMANO NA ALEMANHA 

Curiosamente de forma paralela a Alemanha tem experimentado um crescimento do islamismo no país este ano. Os muçulmanos realizaram uma campanha nacional para doação do Corão no país que em grande parte das pessoas tem dado as costas ao cristianismo bíblico.

Mas os imigrantes iranianos ou persas, que já experimentaram a opressão do Islamismo em sua terra natal, tem autêntica fome e abertura para a la liberdade e a alegria que lhes oferece o cristianismo.

Fonte: Entrecristianos, CBN editado por Protestante Digital