Objetivo é frear a entrada ilegal de imigrantes e a infiltração de grupos armados, diz ministro

JERUSALÉM – O governo de Israel iniciou nesta segunda-feira, 22, a construção de uma barreira em sua fronteira com o Egito com o objetivo de frear a entrada ilegal de imigrantes e a infiltração de grupos armados.

O projeto, anunciado em 2008, deverá custar US$ 360 milhões. A linha divisória entre os dois estados soma quase duzentos quilômetros, mas a barreira só será levantada nos locais de fácil acesso a pé.

O ministro do Interior israelense, Eli Yishai, defendeu a necessidade do projeto e pediu novos fundos para frear o fenômeno migratório, que “trará sérias consequências dentro de 15 anos”, disse. De acordo com Yishai, caso não se construa o obstáculo, cerca de 70 mil pessoas entrarão de forma ilegal no Estado judeu nos próximos dois anos.

Israel concede a cidadania de forma automática a quem tenha pelo menos um avô judeu, enquanto impõe uma estrita política migratória para quem não tem.

Desde janeiro, um total de 10.858 emigrantes atravessaram a fronteira israelense-egípcia, de acordo com dados divulgados a semana passada pela Direção israelense de Imigração.

Fonte: O Estado de São Paulo