Autoridades afirmam que construção era destinada a “atividades terroristas” e anunciam suspensão do envio de material de construção para os palestinos

Soldado israelense sai por túnel supostamente cavado por palestinos na fronteira entre a Faixa de Gaza e Israel Soldado israelense no túnel escavado na fronteira entre a Faixa de Gaza e Israel (David Buimovitch/AFP)

O governo israelense anunciou neste domingo a descoberta de um túnel de 1,7 quilômetro que liga o território do país à Faixa de Gaza, o enclave habitado por palestinos e controlado pelo grupo terrorista Hamas. Segundo o exército israelense, o túnel era destinado “atividades terroristas”. O Ministério da Defesa responsabilizou o Hamas pela construção.

Após o anúncio, o governo disse ter suspendido o fornecimento de material de construção para a Faixa de Gaza. O túnel, segundo autoridades israelenses, foi descoberto há uma semana, mas a notícia foi divulgada somente neste domingo. Os israelenses afirmaram que aguardaram o período porque buscavam explosivos no interior da construção.

“O túnel demonstra que o Hamas segue se preparando para um novo conflito com Israel e para ações terroristas”, declarou o ministro israelense de Defesa, Moshe Yaalon.

No dia 22 de setembro, Israel havia permitido pela primeira vez em anos a entrega de cimento e de ferro para o setor privado no enclave palestino. As remessas haviam sido suspensas após o Hamas tomar o poder na Faixa de Gaza em junho de 2007, por medo de que fossem utilizadas na construção de túneis que servem de base aos ataques contra Israel.

Em junho de 2006, um soldado israelense foi sequestrado pelo Hamas por um desses túneis. Ele foi libertado depois de cinco anos de cativeiro em troca de centena s de presos palestinos.

Fonte: Veja