israel 700
Israel caiu no gosto dos brasileiros. Segundo Suzan Klagesbrun, cônsul do Ministério do Turismo de Israel, a cada ano o fluxo de turistas do Brasil aumenta para o destino. Em 2012 foram 60 mil brasileiros, um crescimento de 4% em relação ao ano anterior. Para 2013, o objetivo é crescer mais 15%. Para ajudar os resultados, a cônsul afirma que será intensificada as ações de promoção no País. “Vamos aumentar as atividades junto aos líderes religiosos das comunidades evangélica e católica, além de dar assistência para novos operadores que iniciaram agora suas vendas para Israel”, contou.

Entre as novidades para o ano, está o lançamento de dois novos produtos religiosos: trilha do Evagelho e Passos de Maria. De acordo com Suzan, os pacotes já estão sendo comercializados e são voltados para peregrinos que já estiveram na Terra Santa e querem voltar, mas ver atrativos diferentes dos já visitados. “É uma forma do turista ter sempre oportunidade de voltar ao destino mas descobrir coisas novas”, contou. Uma das metas é também treinar os agentes para que eles vendam melhor Israel. “O destino vai muito além de Terra Santa. Temos muita diversidade e trabalhamos outros segmentos”, comentou.

Dos segmentos turísticos, ela destacou a arqueologia, os parques nacionais e as reservas naturais tombadas pela Unesco, gastronomia, vinículas e museus – Israel é onde existe o maior número de museus per capita do mundo. Apesar dos brasileiros terem mais interesse em Israel, ainda está longe de ser um dos principais mercados emissivos, sendo eles Rússia e Estados Unidos – este último com mais de um milhão de turistas anualmente.

Para o público final, uma campanha publicitária institucional será lançada em breve. “Esta será a primeira vez que será criada uma campanha voltada para o mercado brasileiro. Todas essas ações teão como objetivo mostrar uma Israel diferente. “Queremos que é possível se surpreender com o destino”, finalizou.

Voo
Desde o fim das operações da El Al no País, o Brasil não tem um voo direto para Israel. Porém, Suzan acredita que há público suficiente para um voo. “Os voos da El Al estavam lotados, mas por decisão da companhia – devido aos altos custos – ele deixou de ser operado. Mas o fluxo é muito grande entre os países, tanto de turistas quanto de comércio”, disse. Segundo ela, muitos israelenses chegam na América Latina via Brasil, além disso, é grande o fluxo de jovens israelenses mochileiros no País.

Fonte: Mercado e Eventos