Quatro estrangeiros foram detidos na cidade de Benghazi, a segunda maior da Líbia, sob suspeita de serem missionários cristãos e de imprimir livros sobre o Cristianismo, de acordo com uma autoridade de segurança do governo, neste sábado (16).

“Eles foram presos na terça em uma editora, onde eles estava imprimindo milhares de livros que incitavam a conversão ao Cristianismo”, afirmou Hussein Bin Hmeid.

“Proselitismo é proibido na Líbia. Somos um país 100% muçulmano e esse tipo de ação afeta nossa segurança”, disse.

A Segurança Preventiva, órgão estatal do qual Hmeid é porta-voz, afirmou que os detidos são um egípcio, um sul-africano, um coreano e um sueco que viajava com um passaporte dos EUA.

“Ainda estamos fazendo interrogatórios e os entregaremos às autoridades de inteligência em dois dias”, disse Hmeid.

A Segurança preventiva foi um aparato de segurança paralela criado durante a guerra de 2011 que capturou e matou Muammar Gaddafi, criada por diversas brigadas rebeldes que lutaram contra o ditador no conflito.

Fonte: Folha de São Paulo