A mesa Diretora da Câmara de Niterói convoca o suplente do vereador Carlos Macedo, o Pastor Ronaldo, para assumir cargo. Prisão temporária de Macedo foi prorrogada por mais trinta dias. Foto: Foto: Divulgação / Sergio GomesA mesa Diretora da Câmara de Niterói convoca o suplente do vereador Carlos Macedo, o Pastor Ronaldo, para assumir cargo. Prisão temporária de Macedo foi prorrogada por mais trinta dias.

Decisão foi motivada por conta da prorrogação da prisão temporária de Carlos Macedo por mais trinta dias. Pastor tem até quinze dias para assumir cargo na Câmara

A Mesa Diretora da Câmara publica nesta sexta-feira, no Diário Oficial a convocação do Pastor Ronaldo (PTN) para assumir a vaga do vereador Carlos Macedo (PRP). A decisão foi motivada por conta do pedido da Polícia Civil à Justiça para prorrogar, por mais 30 dias, a prisão temporária de todos os envolvidos nas investigações que envolvem o assassinato do vereador eleito Lucio do Nevada.

O vereador Macedo, que continua de licença sem vencimentos, é uma das pessoas presas preventivamente. Pastor Ronaldo tem 15 dias para assumir a vaga, a partir de segunda-feira. O suplente Ronaldo Oliveira da Silva tem 47 anos, é casado e pertence aos quadros da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Integrante da Coligação Sempre Juntos por Niterói, composta também pelo PRP, recebeu 1.943 votos.

“Nos reunimos e colocamos este assunto em discussão. É um caso inédito na nossa Casa e que estamos tomando as decisões com serenidade e muita responsabilidade”, disse Paulo Bagueira, Presidente da Câmara de Vereadores.

Caso – O delegado Paulo Guimarães contou que as investigações apontaram que há várias pessoas implicadas no crime, a começar pelo vereador Carlos Macedo que é apontado como sendo o mandante interessado nesse crime. Sua chefe de gabinete, Mariana Soares Queiroz, é apontada como contratante de dois policiais militares já detidos. “Eles são os agenciadores, conseguiram equipamentos, veículos, telefones, bem como a contratação dos executores, esses oriundos de Magé”, disse Guimarães, sem se estender sobre as provas que o levaram ao nome de Macedo.

Fonte: O Fluminense