Prefeito de Tóquio disse que tsunami foi um castigo divino

O prefeito de Tóquio Shintaro Ishihara se desculpou logo por dizer que o tsunami que assolou recentemente o Japão é um castigo divino pelo egoísmo do país.

Shintaro disse aos jornalistas durante uma conferência de imprensa que se retrata dos comentários que fez na segunda-feira e ofereceu “uma desculpa profunda”, segundo a agência Kyodo News do Japão.

Ele havia originalmente dito que o tsunami era necessário “para acabar com o egoísmo, que oxidou a mentalidade dos japoneses durante um grande período de tempo”

“Creio que [o desastre] é tembatsu (castigo divino), ainda que sinto pelas vítimas do desastre”, havia dito.

Na sexta-feira passada, as ondas gigantes geradas por um tremor submarino alcançaram todos os povos costeiros e cidades, deixando um número estimado de 10.000 pessoas mortas ou desaparecidas.

O terremoto é o quinto sismo mais poderoso que golpeou o mundo desde 1900 e o pior da história do Japão, de acordo com informes.

Exatamente um dia antes de Shintaro fazer seu comentário polêmico, o Rev. David Yonggi Cho, pastor principal da Yoido Full Gospel Church – a maior igreja do mundo – também foi criticado por chamar o recente terremoto e tsunami no Japão de uma “advertência de Deus” em uma entrevista no domingo, publicada em um jornal on line.

“Japão vê uma grande quantidade de terremotos, e creio que é lamentavel que houve uma enorme quantidade de perdas de propriedades e vidas por causa do terremoto,” Cho havia dito na entrevista a News Mission.

“Devido ao fato do povo japones rechaçar a Deus nos termos de sua fé e seguir a adoração de ídolos, o ateísmo e o materialismo, me pergunto se isto não foi a advertência de Deus contra eles.”

Só há em torno de 2 milhões de cristãos no Japão, em uma população de mais de 127 milhões de pessoas.

O pastor da Corea do Sul acrescentou que espera que a “catástrofe pode se converter em uma benção” e que os japoneses “aproveitem esta oportunidade para voltar ao Senhor.”

Em publicações feitas através de redes sociais, Cho foi bombardeado por seus próprios compatriotas.

Jing Joong-Gwon, um crítico social influente na Corea, chamou a Cho de “lunático” através do Twitter. “Enquanto o pastor fala coisas sem sentido, verdadeiras virtudes cristãs são feitas fora da igreja”, acrescentou, em referência ao trabalho de socorro da comunidade internacional no Japão.

Mais tarde, News Mission retirou sua entrevista com Cho.

Yoido Full Gospel Church na Corea do Sul considera que tem a maior congregação no mundo, com uma membresia de pelo menos um milhão de pessoas segundo informes de 2007. A igreja foi fundada em 1958 pelo Rev. Cho, que continua servindo como pastor principal.

Nos Estados Unidos, não há líderes cristãos proeminentes que disseram que o desastre do Japão se deve a castigo divino. Mas no ano passado, o polémico tele-evangelista Pat Robertson indignou a proeminentes líderes evangélicos chamando o terremoto no Haití uma maldição pelos laços históricos do país com o vudú.

Fuente: Christian Post