turkisheducation

O Sistema Público de Educação na Turquia está se preparando para oferecer um curso opcional sobre Cristianismo. O novo currículo foi criado em uma colaboração única entre líderes cristãos em Istambul representando diferentes comunidades. O comitê que criou o currículo é composto de nove membros do clero vindos de comunidades Gregas, Armênias, e Siríaco Ortodoxa, assim como Católicas e Protestantes.

Um deles, pastor Behnan Konutgan da Bible House in Istambul, informou que o Ministério da Educação deu ao comitê de criação a luz verde para continuar a desenvolver o currículo de Religião cristã este mês. O comitê já preparou rascunhos de livros-textos para crianças dos quarto e quinto anos; de nove a onze anos de idade. O comitê planeja em seguida escrever livrs para alunos dos anos oito e nove.

A criação desde novo currículo levanta muitas questões sobre sua implementação, como por exemplo como e quando as aulas serão dadas. “Há mais perguntas do que respostas”, declara o expert em liberdade religiosa Mine Yildirim. “Se o Ministério da Educação não estiver disposto e pronto a estar flexível, tais cursos serão apenas uma possibilidade em teoria, e nunca serão colocados em prática.” A flexibilidade envolveria coletar alunos de diferentes escolas para cumprir a quota obrigatória de 12 alunos necessária para um curso opcional. Yildirim disse que o Ministério da Educação poderia também pensar em conduzir as aulas com menos alunos, habilitando o currículo a abordar as necessidades da comunidade Cristã.

O World Watch Monitor (WWM) falou com um cristão Siríaco-Ortodoxo de cerca de vinte anos que pediu para permanecer anônimo. Sua educação primária e secundária inteira aconteceu em escolas públicas de Istambul. Ele disse que havia normalmente até três cristãos nas aulas, e durante aulas de religião, eles se reuniam na cantina da escola. Ele disse que pensa que o curso opcional proposta seria atualmente praticamente impossível de ser implementado em escolas privadas e públicas na Turquia.

Em uma entrevista com a publicação de direitos humanos Bianet, Garo Paylan, um administrador de escolas turcas-armênias, fez uma pergunta importante: “Quem vai dar essas aulas [em escolas públicas]?”

Outras preocupações surgiram. A Corte Europeia dos Direitos Humanos (CEDH), da qual a Turquia faz parte, julgou em Setembro que as aulas obrigatórias de religião no sistema de educação na Turquia não são justas com alunos que não seguem a religião majoritária de Muçulmanos Sunni, e que ela deveria corrigir sua política, em acordo com um veredicto recente da Corte Europeia dos Direitos Humanos (CEDH). Eles ordenaram a Turquia a permitir os alunos a não participarem das aulas de acordo com pedidos feitos pelos pais, sem obrigá-los a declararem suas crenças religiosas.

O anúncio do governo sobre oferecer uma aula opcional sobre Cristianismo veio logo após a decisão da CEDH. Para acrescentar à confusão das razões para as aulas opcionais, muitos comentaram que Cristãos e Judeus já não são obrigados a participarem dos cursos obrigatórios referenciados na ordem da CEDH, e Cristãos só representam uma pequena minoria da população.

Dogan Bermek, Vice Presidente da Federação de Fundações Aleve, disse ao WWM que pensou que a decisão de oferecer um curso em Cristianismo fosse uma fachada para acalmar a CEDH e “tirar os Europeus dos seus sapatos”. Estudantes são atualmente obrigados a fazer aulas de religião que o sistema escola diz que apresenta religião em termos neutros. Outros discordam dizendo que o currículo impoe rituais muçulmanos Sunni em aula, o que muitos turcos–incluindo muçulmanos não-Sunni, Cristãos, Judeis e ateus–não concordam.

Embora a decisão da CEDH traga um certo controle, altos líderes turcos ignoraram a decisão da corte, provocando críticas e protestos. De acordo com o periódico turco Today’s Zaman, o primeiro ministro Davutoglu defendeu o currículo da religião islâmica, dizendo: “É uma obrigação para um ateu saber sobre cultura religiosa, assim como eu deveria saber sobre Marxismo embora não seja um marxista.”

Enquanto isso, a preparação do currículo do curso sobre Cristianismo continua a avançar.

Pai, oramos pelo sistema de educação na Turquia; que uma decisão justa e unificada possa ser feita. Oramos especialmente pelas crianças; que elas não fiquem confusas com as decisões que talvez não sejam de seu melhor interesse. Te agradecemos pelo curso sobre Cristianismo que está por vir; mas oramos que Cristo seja o centro e que o currículo seja bíblico. Oramos pelos professores que darão as aulas; que cristãos qualificados sejam encontrados. Também oramos por pais cristãos; que eles possam ter uma relação aberta com seus filhos, para que informações conflituosas da escola possa gerar boas discussões em casa e um crescimento que honre a Deus na fé das crianças. No nome de Jesus, o foco da nossa fé, Amém.

Fonte: Atos em Missões

Tradução de: Open Doors Internacional