Quando o Senhor Jesus terminou seu ministério terreno, Ele deixou tudo preparado para que a Igreja pudesse continuar a fazer as mesmas coisas que Ele fez. Logo em seguida, no dia do Pentecostes, a Igreja começou seu ministério.

Se fizermos uma comparação com o Tabernáculo de Moisés podemos entender que o Senhor levou muito tempo para tirar o povo do acampamento e levá-lo até o Santo dos Santos. Quando Jesus morreu na cruz do calvário o véu do templo rasgou-se de cima a baixo. Isto nos mostra que o povo de Deus passou a ter acesso direto ao Santos dos Santos. O Sacerdócio Universal foi instituído. Não havia mais a necessidade dos sacrifícios intermináveis que remiam os pecados por um tempo e que não eram totalmente eficazes. Somente a morte de Jesus ali no Calvário pode remir todos os pecados da humanidade de uma vez por todas. A partir daquele momento o homem passa a ter completa comunhão com o Senhor, através de Cristo Jesus.

O homem, por causa do pecado, foi expulso da comunhão com o Senhor. Foi preciso que o Pai enviasse Seu único filho para refazer este caminho maravilhoso de entrada ao Santo dos Santos. Quando o Senhor diz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ele estava dizendo que as três portas do tabernáculo poderiam ser ultrapassadas pelo homem dando-lhe o direito de estar em comunhão com o Pai, não uma vez por ano, não só o Sumo–Sacerdote, mas todos os que são lavados e remidos pelo sangue do Cordeiro e a qualquer momento.

No primeiro capítulo do livro de Atos dos Apóstolos há o relato da ascensão de Jesus aos céus. Os discípulos estavam há poucos dias do início da Igreja. No verso 11 os anjos afirmam que o Senhor voltaria: “Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir”.
Entendemos que o Senhor voltará para buscar a Sua Igreja quando ela estiver no mesmo lugar que Ele a deixou, ou seja, no Santo dos Santos.

Ao longo destes quase dois milênios, a Igreja do Senhor têm perdido sua essência. Foram muitos ataques do inimigo tentando fazer com que o mandamento do Senhor não fosse cumprido: “Ide por todo o mundo…” Quando comparamos as características da Igreja de Atos dos Apóstolos com as da Igreja nos últimos séculos vemos o grande abismo existente.
No entanto o Senhor está restaurando Sua noiva. Historicamente a restauração começa com a Reforma Protestante. De lá para cá o Senhor está colocando todas as coisas nos seus devidos lugares:
– a adoração
– o estudo da Palavra
– o governo teocrático
– os ministérios eclesiásticos (apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres)
– a quebra da divisão entre o clero e o laicato
– a paternidade espiritual
– o avanço missionário
– os pequenos grupos, entre outras coisas.

Estamos vivendo um momento impar na história da Igreja no qual o Espírito Santo têm tido liberdade de agir e de mudar coisas. E as coisas estão acontecendo rapidamente.

Como sempre acontece, alguns estão perdendo esta manifestação da presença do Senhor por não estarem atentos ao que o Espírito está falando e fazendo.
Fique atento ao mover de Deus e deixe o Espírito Santo colocar todas as coisas nos devidos lugares também em sua vida e na vida de sua família.